2016 07 << 12345678910111213141516171819202122232425262728293031>> 2016 09







Indo em Shows no Japão (ノ◕ヮ◕)ノ*:・゚✧

Oi gente~~~Anne aqui hoje para mais um dos nossos posts sobre o Japão! (◕‿◕✿)

O post de hoje será sobre os dois shows que fomos no Japão (na verdade os dois que eu fui, as meninas só foram em um ;3;).

Nossa intenção, indo no final do ano, seria conseguir ir em mais shows. Mas nossos AMADOS outros artistas resolveram adiantar ¬¬ os shows de fim de ano. Então nada de Moi dix Mois ou Gackt para a gente.

Aqui vou falar rapidinho sobre a diferença de show em Live House e show em Hall~ Vamo lá?

O primeiro show que fomos foi o do Vamquet, um dos novos projetos do Kozi. Não fazíamos ideia do que esperar (já que esse projeto não tinha nada lançado), mas corremos para ir atrás de ingressos assim que soubemos que Kozi faria um show na data que estaríamos no Japão.
Como não era um show procurado, os ingressos estavam fáceis de conseguir. E para isso pegamos SS com a Maria que comprou os ingressos para a gente e nos entregou em mãos alguns dias antes do show.


Logo que chegamos~

Esse seria nosso primeiro show no Japão e estávamos ansiosas. A primeira coisa que fizemos em Shibuya (bairro do show) foi descobrir onde ficava o lugar do show. Não era muito longe da estação, mas era (palavras da Bia) uma pocilga. Era mesmo bem
underground e em volta havia aparentemente outras duas casas de show.


Pocilga linda <3

Descemos e tentamos nos comunicar com o moço que estava lá. Mas ele não entendia inglês e pelo jeito não se esforçou muito para ser simpático. Queríamos infos e flyer, mas não conseguimos nenhum dos dois. Ao menos tivemos o plus de ver o moço falando sobre Kozi x Malice Mizer x Gackt com a menina que estava lá com ele. 。◕ ‿ ◕。

Agora vem a parte que, por nosso desconhecimento a gente "se ferrou". Achamos que teria fila. Queríamos muito ficar bem na frente, então por isso não nos afastamos muito do local da casa de show. Até demos umas voltinhas por Shibuya, mas antes de anoitecer já estávamos de volta lá.

Descendo na Pocilga~

O caso é que no Japão não tem essa de fila para show. Ou o show é com lugar marcado/ cadeiras (Hall) ou se entra pela ordem numérica do ingresso. Sim, isso mesmo. A gente ficou lá esperando e esperando, mas o povo mesmo chega na hora! Então de nada adianta chegar super adiantado, você só entra quando seu número é chamado (em japonês). ( ̄□ ̄)

A única coisa boa de ficar um tempão lá esperando foi uma pequena experiência divertida. Estávamos lá plantados em frente ao Chelsea Hotel deliberando, esperando para ver se a banda não aparecia. Nisso saí um gótico lá debaixo e esbarra (aparentemente de propósito) no Daniel. Olhando para ele, mesmo sem maquiagem nem nada, tive CERTEZA QUE ERA DA BANDA. Um total de 0 pessoas acreditou e perdemos a chance de tietar ele. Que depois voltou com uma sacolinha (de comida possivelmente). Além disso também conseguimos ouvir a banda passando o som! Então alguma vantagem de esperar tivemos.


A entrada desse belo ambiente familiar~

Então chegou a hora do show~ Por sorte nossos números eram tipo 30-34 e alguns números antes não haviam chegado ainda.Então corremos para frente e conseguimos ficar logo atrás das pessoas que estavam na grade!

Esperamos pouca coisa e o show começou bem no horário. Ia tocar outra banda nesse mesmo dia e achávamos que essa banda tocaria antes. Nos surpreendemos então quando abriram "as cortinas" e o KOZI ESTAVA ALI. Entretanto minha primeira reação foi gritar EU NÃO DISSE QUE ELE ERA DA BANDA? ∩(︶▽︶)∩

No fim o gótico misterioso era o VOCALISTA da banda. E a gente podia ter TROCADO nosso alemão pelo KOZI kkkk. ლ(́◉◞౪◟◉‵ლ)

Outra surpresa é que o Kozi estava no baixo e não na guitarra. E ele estava se saindo ótimo nisso e nos backing vocals.
A banda era bem agitada, lembra bastante o XAVAT (projeto anterior do Kozi, com quase a mesma formação do VAMQUET). Era bem eletrônico, mas um som bem gostoso.


Plaquinha na entrada do Show

Infelizmente não estava dando muito bem para ouvir a voz do vocal (mic meio estourado), fora isso tudo bem. Era engraçado ele dançando e falhando um pouco, mas curti o estilo dele.

O guitarrista era bem posudo e tinha um estilo que lembrava o Imai, embora aparentemente ninguém estava dando uma foda para ele kkkk A gente mesmo estava viradona para o Kozi, mas o corno ficou mais lá atrás do palco.

Ele toca muito olhando para baixo, então não senti meu olhar cruzando com o dele nenhuma vez. Já o vocalista olhava bastante para a nossa direção. Imagino até que por que nos viu bem cedo por lá.

Estávamos curtindo o show, quando eles pararam para o MC. Ficaram umas brincadeirinhas e o Kozi ficou falando YOOOO. E deu aquele riso lindo dele <3


Foto proibidona do Kozi ali, tão pertino da gente ;3;


O Kozi então veio mais para perto do palco e tão bom ver ele de pertinho assim. A maquiagem estava impecável e ele continua
lindo! Só queria que ele tivesse cantado como faz no ZIZ em vez de só fazer backing vocal :(

O show acabou então. Foi bem curtinho, afinal eles são uma banda nova e só estavam abrindo o show. Creio que tivemos entre 45min e 60min. Mesmo assim foi tudo lindo <3


A gente quase entrando no show~

E esse foi nosso primeiro show! Trolladas por não saber que não existem filas~ Fora isso tudo bom. Havia locker para guardar as coisas (daqueles de moeda!) e não estava muito cheio. Ninguém ficou empurrando a gente nem nada, mesmo estando muito na frente. Havia algumas lolitas muito estilosas e pessoas góticas interessantes. /o/

O show do BUCK-TICK então foi no dia seguinte! Quase não acreditei que conseguiria ir nesse show, pois os ingressos já estavam esgotados no dia da abertura das vendas.
Mas graças a Cayce, um anjo do fandom, consegui comprar um ingresso para o THE DAY IN QUESTION.

E, nesse dia, eu teria que chegar ao Nippon Budokan mais cedo para encontrar a amiga dela que me entregaria o ingresso.

Como a ansiedade estava grande, acordei cedo, me arrumei e fui correndo para lá. Até ia passar para tomar café da manhã antes, mas queria chegar lá bem antes do horário combinado (12:30).
Andar sozinha por Tóquio é divertido e nessa altura do campeonato eu já estava manjadora dos metrôs, mesmo não tendo ido ainda a estação do show. ᕦ(ò_óˇ)ᕤ

Cheguei lá e fui seguindo as plaquinhas. Também tinha um mapinha, mas mesmo assim me perdi um pouco por não ter compreendido uma placa direito. Eu já sabia mais ou menos o que tinha na região da casa de show, e como estava bem adiantada, aproveitei para admirar o lugar.


Nem era meio dia e já tinha toda essa fila de gente lá em cima, para comprar as coisinhas exclusivas do show!

Achei por fim o lugar certo e caminhei até lá, surpresa com o tanto de gente que já estava na fila, só pra comprar os goodies do show (como é lugar marcado, a fila era só para isso mesmo) e foi um momento temi não conseguir comprar nada, pois não iria seguir na fila depois de obter os ingressos.

Fiquei ali observando as pessoas. Muitas garotas bonitas e estilosas, todas montadas. Algumas pessoas mais velhas, e alguns caras bem gatinhos também.


No fim encontrei a menina que estava com o meu ingresso, Kuro. Uma gotica linda demais, ocidental e muuuuuito estilosa.
Falava bem calmamente, no inglês super suave. Pediu desculpas pelo lugar não ser muito bom, disse que era ingresso do fan club <3 perguntou de que lugar do Brasil eu era e disse que uma das melhores amigas dela veio do Rio Grande do Sul!
Minha vontade era ficar horas falando com ela, mas meu vocabulário em inglês não é tão extenso assim e eu não queria ficar forçando a amizade. Isso que ela ainda disse que eu podia ficar na fila com ela <3 Aff <3
Mas acabei me despedindo e indo para Shibuya. Afinal meu tempo de Japão era curto, e eu queria aproveitar o máximo.

Eu aproveitei para encontrar a Priscila nesse meio tempo~ (Enquanto as meninas e o Daniel estavam se divertindo em Harajuku). Ficamos lá por Shibuya até começar a dar a hora da entrada do show. Afinal ainda queria tentar comprar algum good.

Chegamos lá então e eu vi que logo na saída da estação estavam montando banquinhas com fotos do BUCK-TICK para vender. São fotos tipo ‘‘piratas’’ mas eu queria muito! Tanto que, como a Priscila iria voltar, deixei $$$ com ela para ela comprar um set para mim <3


Selfie com o BUCK-TICK

O lugar em volta do Budokan estava bem agitado e tinha uns tiozões (cambistas YAKUZA) oferecendo ingressos pro show 8D afinal como estava esgotado, era a chance ne... de quem queria muito ir.
Fomos então para a parte dos goodies! Por sorte a camista que eu queria não estava esgotada!
Comprei também o pamplet do show (uma especie de photobook feito especialmente para vender no show) e uma figurinha~
Do que eu queria, a unica coisa esgotada eram as BALINHAS DO SAKURAI. Mas isso eu imaginei mesmo :/ que ia esgotar rápido.


Achei que eu tinha ido chique ver eles, mas o pessoal tava bem mais estiloso que eu ;3;

A Priscila, olhando meu ingresso, conseguiu dizer a posição do meu lugar e ficou comigo até minha hora de me ajeitar na fila para entrar no show. Recomendo para quem for pegar lugar marcado, tentar olhar em aplicativos das casas de show. Pois algumas partes indicativas do acento então em Kanji, o que pode ser um problema.


A cada de felicidade de quem estava prestes a ver seus velhos favoritos~

Me despedi dela então e depois de pouco tempo já estava no Budoukan. Diferente do que me disseram, achei meu lugar bom. Claro, não estava cara a cara com eles como no show do Kozi, mas esse era um show grande, nem esperava por isso.

Eu estava bem numa encruzilhada de corredores. Do meu lado o corredor que subia e descia, e a minha frente o corredor para quem ia e voltava daquela fila. Isso acabava me dando mais espaço para me posicionar e enxergar bem o show.
A menina do meu lado logo chegou, e por mais que eu quisesse interagir, fiquei tímida e ela parecia bem na dela.
Segui admirando as roupas das pessoas estilosas e ficando feliz como o lugar estava lotado.
Meu lado era do lado do Hide, o que era bom por que me dava uma boa visão do palco. Me admirei com o jeito que é feita a inclinação das fileiras. A cabeça de ninguém me atrapalhou! Adorei isso!
Então as luzes se apagaram e começou a tocar o B-T THEME. Meu coração foi a mil, eu levantei e comecei a pirar. E fiquei completamente alucinada até o fim do show~


Fotinha proibida do meu lugar~ antes de começar o show.

Alguns pontos sobre o show:
-Tudo é bem organizado e os fãs respeitam BEM as regras
- O pessoal, no geral, VAI MUITO bem vestido e arrumado. Tinha pessoas com outfits lindos
- Não esperava ver tantas lolitas. Especialmente lolitas de ROSA kkkk achei curioso, mas ainda assim fofinho
- Tinha um bocado de mãe com criança / famílias. E bastante pessoas mais velhas.
- Não pode deixar o celular ligado durante o show nem tirar foto. Ninguém te revista, mas eles levam isso muito a sério!
- Não teve nenhum moe do Atsushi pegando MEMBROS da banda. Mas eu achei fofo, algo que não se nota tanto nos DVDs pelo jeito que eles filmam, é que o Sakurai interage MUITO com o TOLL quando o povo tá fazendo solo de guitarra. Achei isso muito meigo.
- Plus, deu pra sacar que eles filmam muito o rosto dele quando ele tá fazendo bobice :3 com as mãos no pinto kkkk

E foi isso <3 foram dois momentos muito incríveis! É muito diferente ir num show pequeno e num show enorme. Mas o que houve em ambos foi:
Publico respeitoso, pessoas estilosas, cumprimento de prazos e regras, organização! Tudo ocorrendo na maior paz.

Se pretende ir ao Japão, fique atendo as datas que suas bandas favoritas fazem show, Recomendo o SS da Maria caso seja de um show não esgotado (o trabalho dela é ótimo). Ou então, que vocês recorram a alguém dentro do fandom (caso seja um show esgotado).
Alguns fãs japoneses (ou estrangeiros que moram por lá) estão dispostos a ajudar os fãs que vem do outro lado do mundo!

A experiência de ir em shows no Japão foi muito boa. E, conseguindo ir novamente, gostaria de pegar mais shows! Vale mesmo a pena <3

E é isso, qualquer dúvida podem perguntar nos comentários! Aguardem os próximos posts da série Japão! (ノ◕ヮ◕)ノ*:・゚✧
[ 2016/07/01 ] Japão | TB(0) | CM(0)

JAPÃO pt. 3 - Tokyo Disney Sea & Tokyo Disneyland!(〃・ω・〃)

Oi pessoal! Naki aqui depois de bilhões de anos pra voltar com os posts do Japão. A vida tá corrida e é meio deprimente ver as fotos da viagem agora que a saudade tá batendo mais forte :( Mas nos propusemos a terminar isso, então vamo que vamo. Hoje vou falar sobre a nossa ida aos parques da Disney! Esse post vai ser imenso e cheio de fotos, então tejem avisados!

Anne aqui em rosa apenas pra acrescentar alguns detalhes <3 E CHORANDO DEMAIS DE SAUDADES

Eu sempre fui fã da franquia desde criança, do tipo fã chata que sabe todas as falas e músicas de cor. Então para mim foi um momento muito mágico poder conhecer esses parques, além de adorar esse tipo de brinquedo! Eu nunca fui a outros parques da Disney, então não tenho nenhuma comparação pra fazer sobre o de Orlando, mas vou tentar descrever direitinho como foram as coisas por lá.

Bem, os ingressos do parque nós compramos na Disney Store de Shibuya, como comentamos no post passado. Nós pegamos o ingresso duplo para os dois parques, um num dia e outro no outro, e pagamos 12.400 ienes pelos dois.

Vale lembrar que comprar o ingresso duplo, para dois dias seguidos, sai mais barato do que comprar os ingressos individualmente para dias avulsos!




A Disney de Tokyo é dividida em dois parques, a Tokyo Disney Sea, que é direcionado para um público mais adulto por ter brinquedos com inspirações de filmes como Indiana Jones e 20 mil Léguas Submarinas, e a Tokyo Disneyland que é o parque clássico com o Castelo, desfile das princesas e tudo mais. Mesmo assim, ambos tem uma pegada bem 'família', mesmo os brinquedos considerados radicais são apropriados para crianças (o que me decepcionou um pouco, queria mais emoção haha) e a decoração de ambos é impecável em todos os sentidos.


No primeiro dia fomos a Tokyo Disney Sea! Essa é a entrada do parque! :)


O mapa do parque!

Tem um pequeno centro de lojas na entrada e logo demos de cara com o Reino de Tritão, o palácio da Ariel. Deixamos pra visita-lo a noite, já que os brinquedos são todos internos, mas tiramos algumas fotos do lado de fora logo de dia para registrar a decoração.


As paredes são feitas com um mosaico de azulejos pra dar esse aspecto de conchinhas :~ é tudo muito lindo!


Uma fonte logo na entrada com Ariel, Sebastião e Linguado <3




A entrada do castelo, com o rei Tritão e seus golfinhos <3

Os brinquedos desse setor do parque são todos bem infantis, mas a decoração do ambiente é maravilhosa. Parece uma balada bem louca no fundo do mar. Fomos em umas águas vivas que sobem e descem e um outro brinquedinho que girava. A noite não tinha fila por ali, então pudemos aproveitar tudo com tranquilidade.

Confessando ser minha parte favorita já que prefiro brinquedo para criança 8D





A loja de souvenirs ficava dentro da baleia!

O primeiro brinquedo que fomos mesmo foi a montanha russa do setor das 20 mil Léguas Submarinas. Procuramos um brinquedo radical logo de cara, pois esses são os que tem filas mais longas. Ficamos cerca de 1h na fila, e no fim nem era tão radical assim, mas a decoração é tão legal que valeu a pena (A Anne achou que iríamos no barquinho que afunda e só descobriu que era o brinquedo tenso no meio da fila 8D)

Pensa numa Annes completamente desesperada quando descobriu que NÃO IAMOS NO BARQUINHO QUE AFUNDA





O carrinho passa por ali no meio da montanha! Tem explosões de fogo bem perto da gente durante o percurso, dá pra sentir o calor!


Decoração super Steampunk desse setor do parque!

Depois disso passamos por Agrabah, a cidade do Aladdin. Lá encontramos os face characters tirando fotos com a galera, mas nos contentamos em fotografa-los de longe. O Jafar estava meio simpático demais pro meu gosto 8D queria que ele fosse malvado com as crianças, haha.




De onde mesmo Abubu disse que vinha

A decoração do lugar é uma mistura do castelo da Jasmine com a parte do mercado de Agrabah, as ruínas aonde o Aladdin morava. Lá fomos voar no tapete da Jasmine, um brinquedo circular que você pode controlar a inclinação dos carrinhos. É bem divertidinho e na fila haviam mosaicos fofos de azulejo dos personagens voando no tapete. Meu favorito foi o Rajah <3




Voando~~ (cara de Gackt maluco)

Depois de Agrabah fomos até o parque do Indiana Jones, aonde tem a outra montanha russa. Essa fila pareceu ainda mais longa que a outra, e o brinquedo realmente era mais radical, mas o percurso é meio curto e eu achei o carrinho um pouco lento :( minha montanha russa favorita segue sendo a Fire Whip aqui do Beto Carreiro mesmo.



Na fila passando frio e com Anne desfalecendo mais um pouco

Novamente desesperada 8D NÃO SIRVO pra esses brinquedos 8D (E PQ DIABOS SIGO INDO NELES?)



A montanha russa parece de madeira, mas é fake 8D

Depois disso fomos comprar umas pipocas e finalmente obter chapeuzinhos bonitos. Como fomos no inverno tinham várias touquinhas temáticas nas lojas e compramos logo no primeiro dia pra poder entrar no clima!



Passeamos por vários lugares do parque e vimos o por do sol. Não fomos em mais nenhum brinquedo, mas a vista era maravilhosa.






Pedimos pra uma staff fofinha tirar fotos nossas!

Ao anoitecer, fomos explorar o barco e o castelo que havia ao lado. Era um centro de exploração mesmo, pelo jeito tinham recompensas pra quem completasse um percurso? Mas nós só fomos visitar mesmo. Nessa hora eu e Bia nos separamos de Anne e Dani e eu tive vários infartos achando que nunca mais iríamos nos encontrar, porque nossa wifi não tinha sinal por lá, mas deus no comando e todo mundo se achou de novo 8D

A gente foi dar um role rápido pela parte de Veneza, mas era tão legal e grande lá, que demoramos uma vida toda 8D Mas aprendemos que o melhor em lugares grandes assim é não se separar!





Brinquedo fofo de dentro do castelo, dava pra colocar moedinhas e fazer os barquinhos navegarem <3


A torre do Terror a noite, infelizmente não conseguimos ir porque a fila era imensa e já estava fechado quando chegamos :( mas é um brinquedo de queda livre e não sou tão fã desses, prefiro os que tem percurso <3


Também visitamos a Toy Story Mania, um centrinho de compras com um Woody gigante. Era muito bem iluminado lá!

Esse foi nosso dia pela Tokyo Disney Sea. No dia seguinte, partimos para o outro parque!




Nós 3 no metrô personalizado que circula pela Disney resort! Estava decorado com adesivos de Frozen!




Mapa do parque!

Ao entrar na Disneyland, fomos recebidos com um grande centro de compras. Os souvenirs são um pouco repetitivos, tem as mesmas coisas em diversas lojas, mas tudo é muito bonito mesmo assim. Encontramos plushies, artigos de decoração, camisetas e moletons, vários chapéus e arquinhos temáticos, toalhinhas, cobertores, latas de biscoito, artigos de papelaria... Era realmente difícil se controlar! Minha única reclamação é que não tinham bonecas nem tsumtsums pra vender por lá, e infelizmente não encontrei nada muito legal dos meus desenhos favoritos (Bambi e A Bela Adormecida :c)


Registrando os look rapidamente antes de se jogar nas compras 8D






Um setor inteiro pro ursinho Pooh <3


Nessa ruazinha estavam alguns restaurantes junto de lojas.


Loja temática de Piratas do Caribe!


No castelo, novamente alugando pessoas pra tirar fotos de nós 4! É o ponto mais disputado pra fotos, fica cheio de gente tirando selfie haha

É legal que os staffs e mesmo os frequentadores são super simáticos, sempre dá para alugar alguém para tirar foto sua!



Anne posando no jardim fofo do castelo <3

Esse dia estava tão frio que não conseguimos brincar em quase nada. As filas eram imensas e ficar parados no vento era bem impraticável. Mas assistimos o desfile das princesas e passeamos pelo parque nos divertindo com as lojas e decorações e comendo pipocas pelo caminho!




Esse era uma parte decorada com coisas de Uma Cilada para Roger Rabbit, dava pra interagir bastante com os cenários!






Eu e o Dear Danny!


A Disneyland é cheia dessas pequenas atrações pra crianças com histórias e interações com os personagens. Nós só passamos pela frente mesmo, porque não era nossa praia e as filas eram desanimadoras.


Nós e os etzinhos de Toy Story!


O castelo a noite :3


Voltando pra casa, mortos e super temáticos!

No fim nós aproveitamos o dia, mesmo não conseguindo ir em brinquedos. Meu único arrependimento é não ter enfrentado a fila da Space Mountain, mas realmente estava com mais de 1h de previsão de espera, e eu não estava preparada pro frio.


Algumas considerações sobre a Disney:

♥ Tem como comprar o ingresso online, mas se for comprar em lojas físicas, a de Shibuya é uma das únicas que tem o ponto de venda. Como há bastante lotação, aconselhamos comprar com o máximo de antecedência possível (como nós fizemos no primeiro dia da viagem. Tem sites que estimam os dias mais lotados dos parques também!)
♥ Precisa pagar uma tarifa pra andar na linha circular do metrô dentro dos parques. Tem como acessar a pé também se não me engano, mas vale a pena porque o metrô é decorado e a vista é linda!
♥ Alguns staffs em pontos de informação tem mapas dos parques pra distribuir gratuitamente! É bem útil, porque é tudo bem grande e distante uma coisa da outra.
♥ Os baldinhos de pipoca são recarregáveis e cada ponto de venda tem modelos diferentes. Rodamos o parque procurando os do Stitch pro Dani e pra Bia, são bem fofos e dá pra usar de bolsinha depois <3
♥ Os chapeuzinhos são vendidos durante o inverno, no verão são toalhinhas os souvenirs mais encontrados.
♥ Vá agasalhado se estiver indo durante o inverno, porque venta muito por lá. Também se prepare pras filas, pois eles são muito pacientes e os únicos que estavam quicando e morrendo pela espera eram nós mesmo 8D

Considerações rápidas da Anne:
A Disney foi mesmo linda! Mesmo não indo em tantos brinquedos, só aproveitar os cenários e os passeios já é muito divertido!
♥ A comida lá é BEM cara, então se joguem nas pipocas que é o que mais vale a pena e tem muitos sabores!
♥ Usem sapatos confortáveis pois se anda muito e se fica muito em pé nas filas!
♥ Se puder, vá dia de semana! Fomos fim de semana por falta de opção, mas estaria um pouco menos lotado se fosse dia de semana, creio eu!
♥ Lá se encontra muitas latas decoradas lindas! Sejam latas de biscoitos, chocolatinhos ou mesmo café solúvel! Alguns preços são super em conta e recomendo fortemente como presente para a família e amigos!
♥ Uma curiosidade é que aquela coisa de casais, grupos de amigos e etc irem vestidos igual é REAL. Invejei horrores, queria que tivéssemos um uniforme nosso também
♥ Outra curiosidade é que tudo era muito limpo, lindo e brilhante! Parecia mesmo um conto de fadas!




DORES DE SAUDADE :C

É isso gente, tentei enxugar o post o máximo que deu! Logo voltamos com mais peripécias do outro lado do mundo ;3
Beijinhos e até a próxima!

Deixem comentários de amor <3 e se preparem que agora vamos ACELERAR os posts da viagem <3!

[ 2016/06/16 ] Japão | TB(0) | CM(2)

JAPÃO - Parte 2: Shibuya e Harajuku (♥ω♥ ) ~♪

Oi lindos, tudo bom com vocês??? ◕ ‿ ◕。 Anne aqui hoje para a segunda parte das nossas aventuras pelo glorioso Japão~~~ (•‾⌣‾•)و ̑̑♡ (Naki em coloridinho fazendo considerações <3 QUE SAUDADE MALDITA DESSE LUGAR)

Hoje vou contar um pouco como foi visitar os bairros de Shibuya e Harajuku! O Post principal é meu, mas Naki vai acrescentar alguns detalhes~ Até por que ela foi um dia um dia a mais para Harajuku que eu (e eu fui um dia a mais para Shibuya~).
No fim do post vai ter algumas DICAS BEM ÚTEIS~ então leiam até o final (◕‿◕✿)

Esses dois bairros da capital Japonesa são conhecidos como polos de moda. Com Shibuya a gente pensa mais em gyaru e com Harajuku a gente pensa mais em lolita e moda alternativa. Então como foram os rolês por esses dois bairros?~


Saindo pela saída 8 (Hachi) do metrô de Shibuya~ (。・ω・。)ノ♡

No nosso primeiro dia de passeios no Japão, formos direto para Shibuya. Havíamos dormido bem a noite e o jet lag APARENTEMENTE não nos pegou. Único ruim é que, nesse dia ainda estávamos sem nossa WIFI móvel, o que dificultou um pouco nossos esquemas. Contudo, na estação de Shibuya tem um quiosque que, você apresentando seu passaporte, ganha acesso a uma senha e login para usar WIFI em vários spots pelo bairro! Recomendo a todos, WIFI nunca é demais!

A estação de Shibuya, como muitas dos bairros maiores, tem várias saídas. Nisso já nos ligamos e saímos pela saída 8 (hachi) que é a saída que dá de cara com a estátua do Hachiko! Achei muito fofo como os turistas se reúnem ao redor do Hachiko pra tirar fotos. É um ponto super conhecido, e sempre tem gente querendo fotografar ali. E é tudo organizado, vai um grupo, tira foto, depois o outro, tudo com agilidade. Não ficam se enrolando mil anos na frente da estátua impedindo as outras pessoas de aproveitar. Encontramos canadenses e argentinos fofinhos nesse dia que revezaram fotos grupais com a gente.


Turistas felizes com o Hachiko~ (〃・ω・〃)


Nakis e Hachikos~



Annes em dois dias diferentes com o Hachiko (´,,•ω•,,)♡

Logo que você sai da estação já da de cara com o MAIOR CRUZAMENTO do mundo~ e com todas as lojas famosas que fazem você babar~


Meu coração palpitou ao ficar de cara com o Shibuya 109 (*˘︶˘*).。.:*♡

É fácil acabar ficando que nem barata tonta num bairro grande como esse. Então WIFI é importante, como também, antes da viagem você marcar alguns spots que quer ver e já salvar prints dos mapas offline. Caso alguma coisa de errado, ao menos você consegue se guiar! Nós tínhamos, inclusive, alguns mapas impressos (graças a Naki <3) dos lugares que mais queríamos ver. Seguro morreu de velho, ne!

Nossa primeira parada foi a Disney Story! Existem muitas lojas da Disney pelo Japão todo! E cada uma delas tem produtinhos que não tem (aparentemente) nas outras. São muitas coisas lindas e exclusivas, dá vontade de comprar tudo!


Disney Store - Shibuya

Se todas que fomos, a de Shibuya era a maior e mais bem decorada. Lá compramos nossos ingressos para ir a Disney Tokyo~ E aproveitamos as promoçõezinhas que estavam rolando! A Disney Store de Shibuya é uma das únicas que tem pontos de venda de ingressos pro parque inclusive, por isso nosso primeiro passeio foi pra lá, para já garantir as datas que iríamos ao parque.


A decoração era linda demais <3


Colaboração com a Angelic Pretty~

Colaboração com a Baby~

Lá, além dos produtos gracinhas da Disney (tudo que você pudesse imaginar, de coisa para cozinha até roupas), havia muitas colaborações com Brand! E preços até bem interessantes. Especialmente as coisas que estavam com desconto! *___*~

Saindo da Disney, fomos tentar resolver nossos problemas com WIFI móvel (queríamos tentar alugar uma, mas não deu certo) e olhar lojinhas~ Já havíamos pesquisado sobre algumas redes na internet, antes da viagem. Poupa muito tempo se você já em ideia do que quer ver em cada lugar!


Motoqueiros andando em bando para comemorar o Natal~ achei fofo!

Em Shibuya tem Bic Camera (mais de uma até) e Don Quijote. Duas lojas de "departamento" que vendem meio de tudo, mas tem mais foco em eletrônicos. São duas lojas vem interessantes, e você pode achar produtinhos legais! Entretanto, preferi as Bic Camera de Shinjuku! Achei as de Shibuya pequenas e bagunçadas. Já a "Donki~" é desorganizada por natureza. Gostei mais da que fomos em Osaka! Contudo, dizem que a de Akihabara é boa também! Só que acabamos não indo na de lá!

Outra recomendaçãozinha que dou é, além de já anotar alguns spots para ver antes de viajar, é anotar o preço de coisas que você deseja comprar. Especialmente se for eletrônicos! Pois existem variações de preços e promoções! E, graças a nossa amiga internet, você consegue pesquisar os preços em lojas online!

Por exemplo, queríamos muito comprar câmeras Instax! Aquelas polaroids fofas! E já tínhamos uma noção dos preços! E olhando na Bic Camera e na Donki, pesquisando um pouco antes de decidir, acabamos por comprar numa lojinha menor só de câmeras que estava em promoção! Economizar é bom, então <3 Pesquisem!

Depois de comprar nossas câmeras, no primeiro passeio por Shibuya~ Fomos ao 109! Lá realmente é uma perdição! É de morrer, tem muita, muita loja mesmo. Atendentes lindas demais e muita gente chique!

Vi menos coisa com vibe Gyaru do que esperava. E os preços, não dá para negar, são salgados. Ainda assim é mais barato que lolita, num geral. E estava em época de promoções, deu para arrematar algumas coisas!

Outra surpresa é que eu não estava esperando servir muito nas roupas japonesas. Tenho bastante busto 8D então nem estava me iludindo muito. Só que no fim, as coisas SERVEM. Podem ficar meio curtinhas (pois são feitas para serem curtas mesmo) nas meninas mais altas, mas de largura serve bem mesmo para meninas com mais peito e quadril! Pelo jeito eles já estão antenados para as ocidentais que vão fazer compras por lá! Então tem muita coisa de tamanho único que realmente abarca tamanhos maiores! Minha paixão da 109 foi a loja fofinha onde comprei um uniforme de cheerleader e já joguei bueiro abaixo a fantasia de fazer compras conscientes no Japão. Eu também estava hesitante achando que não ia servir em mim, mas a atendente fofinha insistiu que eu provasse e ficou falando que eu estava linda mil vezes! Tudo bem que ela queria vender, mas ela foi muito querida :(( fui obrigada a levar a roupa e deixar meu coração lá com ela.

Agora vou falar de outras duas lojas MARAVILHINDAS~

Começando com a Matsumoto Kyoshi~ O famigerado lugar onde Anne perdeu dinheiro mas ganhou uma sacola imensa de cosméticos


O paraíso na terra!

Para quem gosta de cosméticos e maquiagem é imperdível! Tem mais de uma em Shibuya e você encontra essa rede em outros bairros e cidades também! Eu parei em todas as que vi, confesso. E mesmo nas de Shibuya fui mais de uma vez. As de lá são especiais pois são as maiores, então você encontra ainda mais coisas!

Além de ter muita variedade e preços bons, a rede também conta com muitas promoções! Então você encontra produtos com desconto, kits promocionais, kits de miniaturas! Muita coisa perfeita, não tem como não sair desfalcado de lá!
Também, para deixar tudo mais feliz, tem muitos testers a disposição! Então você pode sentir cores, texturas e até passar algumas coisas no rosto mesmo! Parada super obrigatória!

E, se sua pegada é mais ARTÍSTICA~ Recomendo a Tokyu Hands! SE TEM UMA RECOMENDAÇÃO QUE EU NÃO DOU... mentira, apenas se controlem. De 100 em 100 ienes (que é o que custa uma cartela de figurinha - aprox 3,80 em reais o seu dinheiro VOA nesse lugar maldito.


Ocupa a quadra INTEIRA essa!

A Tokyu Hands é outra loja que você encontra em outros bairros e cidades! Também visitamos e amamos as outras, mas essa em Shibuya é amor (inclusive creio que tem mais de uma por lá!). Nem todas as lojas da rede tem todas as coisas. Essa de Shibuya é uma das mais completas que fomos. Se não me engano são 8 andares!

É também uma loja de departamentos, mas muito organizada e com muito foco em coisas para artesanato e papelaria! Lá tem desde material para fazer as coisas, artesanato para comprar e oficinas de artesanato! Embora também tenha pets e coisa para pets, roupas, coisas para montanhismo e viagem, maquiagem e etc!

Acho que o grande foco fica sendo a parte de papelaria e desenho. É bem difícil não sair de lá levando o mundo. Seja pelos adesivos, os carimbos, as canetas incríveis Todo mundo que gosta de desenhar e de papelaria tem que dar uma passadinha por lá! Boa sorte para manter o auto controle (nós não tivemos nenhum).

E Shibuya foi mais ou menos isso! Lá tem muita loja legal, lugares de show (que falaremos em outro post), comidinhas <3 É um bairro imperdível não importa qual seja seu foco!


Terminando uma noite em Shibuya comendo Okonomiyaki <3

***

Então chegamos em Harajuku (ノ´ヮ´)ノ*:・゚✧

Entrada da Takeshita Dori.

Confesso, de um jeito meio triste, que para uma amane de moda alternativa Harajuku foi meio decepcionante. (︶︹︺)

Não que seja ruim, mas eu estava esperando um pouquinho mais. No fim, não foi um bairro que me conquistou. (๑◕︵◕๑) Já eu gostei bastante de Harajuku, embora lá você precise ir com bastante disposição pra enfrentar uma multidão pra comprar e olhar as coisas, e realmente nada é tão barato quanto prometem. Eu aproveitei muito mais da segunda vez que fui, quando já sabia mais ou menos quais lojas eu queria visitar e usei uma roupa mais fácil de por e tirar pra poder provar as coisas. Uma das lojas favoritas foi a W♥C, uma loja de rua logo na segunda quadra da Takeshita. Tem moletons e camisetas com estampas que me agradaram bastante, acessórios e umas coleções com coisas de bichinho e essa pegada esportiva/gótica/fofinha que anda na moda e eu nem sei o nome do estilo rs. No segundo andar é um brechó com coisas vintage, e a decoração lá é muito legal, tem banheiras e brinquedos bem loucos dos anos 80.

Fomos pelo metro, como sempre, tinha mais de uma saída. Não pegamos a que era exatamente mais perto da Takeshita Dori e ficamos meio perdidos até achar a rua, mesmo com GPS. Chegando lá, MUITAS MUITAS PESSOAS.

Na rua principal tem muitas lojas! Tem uma Daiso enorme, cheia de coisa linda, tem a Paris Kids que tem acessórios ótimos e várias lojinhas de moda alternativa.

Lá se tem que bater perna, entrar em todas as lojinhas e ter bastante paciência. Se você não gosta de multidões, e aglomerações de gente, pode ser um problema :/


Não importa o dia e a hora, sempre muitas pessoas~


Chegando no final da rua <3

Por lá você vai encontrar algumas coisas maneiras, mas no geral muita coisa overpriced e de qualidade duvidosa. Essa fama do bairro faz com que tenha muitos turistas, e com isso tem gente metendo a faca mesmo! Isso fica ainda mais evidente na Closet Child. Foi uma das lojas mais fracas e com preços mais salgados da franquia que visitamos. A de Shinjuku e de Osaka foram bem mais proveitosas... Mas mesmo assim eu achei bem legal poder ver tudo ao vivo. Inclusive a BODYLAIN, aonde estava tocando um mix com músicas da Disney em uma pegada meio ddr. Bem louco.

Como estávamos lá no fim do ano, e também fomos no dia primeiro (dia tradicional de promoções) de janeiro, conseguimos alguns descontos e Luck Bags. De todas as lojas que fui, a que eu mais gostei (e gastei ∩(︶▽︶)∩) por lá foi a Tralala~ (fiquem de olho no fim do post vai ter dicas pra ganhar coisas por lá~). Tralala é a versão menos glamurosa e rykah da Liz lisa. Mesmo assim as roupas são muito lindas e a qualidade não deixa a desejar. Me arrependi de não ter comprado mais coisas lá!

Ah, as fotos a seguir são clandestinas. Não pode fotografar dentro da Laforet, mas eu sou rebelde e tirei algumas mesmo assim, disfarçadamente com o celular. É feio, mas eu queria muito uma recordação :~ e estava bem vazio nesse dia, então minhas fotos não atrapalharam os clientes rs. Nesse shopping é onde ficam as lojas de marca lolita. A que fomos melhor atendidas (até demais, a guria não parava de falar irasshaimase, eu já tava suando) e com melhores preços foi a Putumayo. E as coisas deles são mais bonitas ao vivo do que as fotos do site fazem parecer.



Essa é a Swimmer da Laforet, uma das lojas mais baratas que encontramos por lá. Tem muitos acessórios fofos, botinhas, sapatilhas, bolsas e artigos de decoração pra casa.


Nile Perch na Laforet, com vários acessórios fairy. vestidinhos, casaquinhos... Eu achei fofo, mas um pouco overpriced pela qualidade das coisas.


FAMIGERADA ANGELIC PRETTY onde tudo dói e é caro. Fui com a ilusão que compraria horrores e não levei absolutamente nada da dita cuja.




Gatinhos fofos que todo mundo achava que era pipoca nas fotos uiahiua







Esses crepes são a coisa mais deliciosa <3

Terminando o post quero deixar algumas DICAS para os amigos que estão planejando ir ao Japão:

1) Taxas: No Japão geralmente os impostos não vem embutidos nos preços. As taxas variam de 8 a 10% e muitas vezes só são somadas na hora da compra, o que pode dar um grande susto. Alguns lugares colocam o preço com e sem as taxas, mas muitos colocam só o preço sem, então é bom ficar de olho. (。♥‿♥。)

2) Tax free: Muitos estabelecimentos oferecem "tax free" (ou seja, isenção de imposto) ou descontos nos impostos para estrangeiros que estejam apenas com visto de turismo.
A Tokyu Hands e a Matsumoto Kyoshi são duas dessas lojas, mas Bic Camera e lojas de eletrônicos em geral também oferecem essa modalidade.
Para ganhar a isenção ou desconto basta mostrar passaporte e o visto na hora da compra. As lojas que tem esse tipo de desconto geralmente tem várias plaquinhas de "Tax free" e de descontos espalhados pelas lojas.
Algumas lojas oferecem Tax Free em qualquer compra. Outras só em compras a partir de um certo valor. A maioria que trabalha nesse sistema, precisa de compras que ultrapassem 10 mil ienes (cerca de 400 reais) sem contar as taxas!
Só tem UM porem. Em caso de cosméticos você não pode usar eles no Japão. E alguns outros itens também eles colocam numa sacola especial para serem usados só fora do país. (em caso de eletrônicos geralmente isso não acontece, especialmente câmeras, é liberado o uso durante a viagem).
Então o que eu recomendo é, no caso dos cosméticos e coisas assim é comprar com imposto o que você deseja usar no Japão e sem o que você está fazendo estoque!
Ainda assim isso varia de loja para loja. Na Tokyu Hands comprei cosmético com tax free e não tive problemas? De todo jeito geralmente tem avisos perto dos caixas! (。・ω・。)

3) Brindes especiais: Fiquem de olho nas lojas e especialmente perto dos caixas para promoções e descontos especiais para estrangeiros. Por exemplo, na Tralala, a partir de um certo valor, se mostrando o passaporte, podia escolher um brinde! E escolhemos uma bela bolsa da Liz Lisa! É bem comum esse tipo de coisa, então fiquem de olho para aproveitar. ɾ⚈▿⚈ɹ

Então é isso. A dica geral é, sempre ande com seu passaporte e fique de olho para conseguir descontos!

Espero que tenham gostado do post! Qualquer dúvida ou pergunta, podem deixar aqui que responderemos! Deixem comentários e nos façam felizes~ até a próxima! ˚✧₊⁎( ˘ω˘ )⁎⁺˳✧༚
Byee~~ (〃・ω・〃)ノ
[ 2016/03/20 ] Japão | TB(0) | CM(1)

JAPÃO - Parte 1: Planejamento! (♥ω♥ ) ~♪

Oi gente, tudo bem? Finalmente vamos começar a escrever os posts sobre nossa viagem ao Japão! ヽ(〃・ω・)ノ Eu (Naki) vou começar com uma introdução sobre a preparação da viagem, e a Anne vai fazer considerações no post! Vamos seguir com esse estilo enquanto falamos da viagem, pra não deixar escapar nenhum detalhe.

*Anne* Aqui~~ apenas para acrescentar detalhes :3 vamos nessa!



Enquanto planejávamos tudo, foi de grande ajuda ler posts e ver vídeos de outras pessoas que também já foram para o Japão, contando sobre o processo todo, com dicas e valores. Então decidimos retribuir o favor para aqueles que também pretendem fazer essa viagem. Esse post vai ser mais textão que outra coisa, no próximo teremos mais ibagens.

Bom, ir pro Japão era um sonho antigo nosso, mas sempre adiávamos por considerar impossível demais, muito caro, muito longe... Mas quando começamos a ver tantas pessoas realizando esse sonho, decidimos que iríamos nos esforçar pra conseguir também. Foi nossa primeira viagem internacional, e decidimos começar pelo mais difícil, pensando que tudo depois disso seria mais simples e mais perto! O primeiro passo a partir daí é guardar dinheiro, porque realmente lá as coisas não são baratas. Mas isso também foi uma lição para a gente, afinal aprendemos a economizar e organizar melhor nossa grana.

*Anne* Esse meio tempo economizando foi bem complexo. Tivemos que abrir mão de várias coisas para focar em juntar grana. Mesmo assim foi bom ver que, com algum esforço, dá para fazer acontecer. E ajudou muito a aprender a frear os impulsos consumistas.

Depois de algum tempo economizando, começamos a ficar de olho em passagens. Fizemos uma pesquisa de rotas, e as opções de conexão normalmente são pelos Estados Unidos, Canadá, Europa ou Oriente Médio. Ficamos com a última escolha, pois para lá não é preciso o visto de turista, e as passagens contumam ser um pouco mais em conta do que pela Europa. Mas com o dólar subindo do jeito que está, essa situação ficou bastante desanimadora. Não estávamos encontrando nada por menos de 5, 6 mil reais e isso era muito mais do que podíamos pagar. Nosso dinheiro estava bem contado, e já estávamos quase desistindo até que a Anne encontrou a agência BDS Turismo pelo Facebook. Estávamos meio sem esperanças, mas mesmo assim ela mandou um email para eles com a data aproximada da nossa pretensão de viagem, pedindo que eles entrassem em contato caso houvesse alguma promoção. E a sorte estava do nosso lado, pois com a ajuda deles conseguimos ida e volta pela Qatar Airways por aproximadamente 3 mil reais! Eles foram muito solícitos e as passagens foram emitidas sem nenhum problema. Isso salvou nossa viagem, pois a partir daí tínhamos a confirmação de que aquilo era real mesmo, daríamos um jeito de ir de uma forma ou de outra e ficamos muito mais focados!

Em seguida, fomos pesquisar hospedagens. Nossas opções a princípio eram hotéis e albergues, mas não estávamos muito dispostos a gastar muito com isso, visto que basicamente iríamos parar pra tomar banho e dormir nesse lugar. Não precisávamos do luxo de um hotel, aonde mesmo os mais baratos encareciam bastante nosso orçamento curto. Encontramos algumas opções de albergues legais, mas confesso que eu estava meio assim, sou meio fresca com essa coisa de dividir banheiro, e considerando que queríamos aproveitar o dia ao máximo, seria ruim se nos atrasássemos por causa de fila pra tomar banho e coisas assim :/ Foi então que a Renata nos deu a dica do Airbnb. Por lá é possível alugar quartos ou casas inteiras por curta temporada pra vários lugares do mundo. Nós então decidimos pegar apartamentos só para nós, assim teríamos a facilidade de uma cozinha, um banheiro só nosso e liberdade de chegar e sair a hora que quiséssemos. Nós fomos humildes na escolha dos apartamentos, não precisávamos de muito, mas alguns fatores determinantes nas nossas escolhas foram: o prédio ter elevador para podermos subir com as malas, incluir wi-fi móvel e ser perto de uma estação de metrô.


Fachada do nosso apto em Shinjuku gyoenmae, pelo Google Maps :)

No momento de escolher as hospedagens tínhamos que planejar nosso roteiro de viagem, já que não queríamos ficar apenas em Tokyo. Decidimos então por 14 noites em Tokyo e mais 3 em Osaka, já que de lá conseguiríamos visitar Kyoto e Nara, outras províncias de nosso interesse. (Nós também demos sorte de conseguir a passagem de volta pelo aeroporto de Osaka direto, assim não precisamos voltar para Narita!)

Nossos anfitriões foram bem tranquilos e solícitos e não tivemos quase nenhum imprevisto com isso. Gostamos muito da experiência do Airbnb, e com certeza vai ser minha primeira opção de hospedagem pra todo lugar agora. O aluguel dos nossos dois apartamentos somaram aproximadamente mil reais por pessoa no total.

*Anne* Airbnb foi a melhor opção da vida. Seja pela quantidade de oferta, pelo preço ou pela privacidade. Você consegue resolver as coisas todas pela internet, o serviço é muito seguro e os anfitriões oferecem várias coisas. Tínhamos shampoo e condicionador infinitos, sabonete líquido, toalhas e várias facilidades de hotel, mas com toda a privacidade e o gostinho de realmente viver num lugar seu em outro país.


Bia e Dani mimindo no nosso apto em Shinjuku

Outra coisa que achamos bem bacana foi descobrir sobre o Japan Rail Pass. Ele é um passe de metrô, exclusivo para as linhas da JR, fornecido apenas para turistas. Ou seja, é preciso comprar esse passe fora do Japão, e então habilita-lo por lá. Ele não é barato olhando num primeiro momento, mas o metrô no Japão é bem carinho (lá o bilhete é emitido por distância percorrida - entre 140 e 280 ienes mais ou menos), e para nós que pretendíamos pegar o shinkansen (trem bala) para outras províncias, realmente foi algo que valeu a pena. (Na realidade, depois da viagem chegamos a conclusão que tudo que for possível pagar aqui no Brasil ainda vale muito a pena, porque lá é um consumismo desgraçado, dá vontade de comprar absolutamente tudo, então é bom salvar o máximo de ienes possível pra isso. Isso porque quando você sai do Brasil, meio que só pode levar 10 mil reais em moeda com você. Falando assim até parece que eu sou rica, mas sério, esse dinheiro simplesmente SOME no Japão, e como o IOF é algo que encarece muito as compras internacionais, a gente acabou não passando nada em cartão.) Bem, nós compramos o JR para apenas 7 dias, ele começa a contar a partir do momento que você habilita o passe em uma das centrais nas estações específicas. Nós decidimos usar nos últimos dias de viagem, mas da próxima vez provavelmente pegaremos pra mais dias. Ele custou aproximadamente 900 reais na época.

Depois disso, fomos organizar um cronograma mais detalhado. Parte porque queríamos aproveitar o máximo de nossos dias e fazer rotas inteligentes que nos poupassem tempo de translado e etc, e parte porque esse cronograma é um dos documentos necessários na hora de tirar o visto. Claro que fizemos pequenas mudanças, mas principalmente o translado para outras províncias é bom que seja previamente decidido. Fuçamos muito em blogs e vlogs de meninas que já moram lá por um tempo ou que fizeram um roteiro parecido com o nosso para pegar dicas de onde passear, onde comprar coisas e bons restaurantes para comer. Isso nos ajudou bastante a não ficar perdidos por lá. Fizemos listas do que ver em cada bairro, com mapas e imagens do google maps, para caso ficássemos sem internet em algum momento. É bem complicado se localizar sem internet, e lá tem poucos estabelecimentos que oferecem free wifi. Isso acontece porque eles tem ótimos planos de celular e pocket wifi, um aparelhinho que se carrega na bolsa para qualquer lugar, então meio que todo mundo já tem internet e não faz muito sentido oferecer esse serviço.


Mais perto da viagem, nos preparamos para tirar o visto. Eu, Anne e Dani fomos no consulado aqui de Curitiba, e a Bia tirou o visto dela no Rio de Janeiro mesmo. A parte boa é que não tem nenhuma entrevista para o visto, é só entregar os documentos mesmo, mas eles são muito criteriosos nisso. No site do consulado tem tudo que é preciso levar, horários de funcionamento (eles só recolhem documentação pela manhã e entregam a tarde) e é preciso respeitar muito isso. Enquanto eles conferiam nossa documentação a moça fez algumas perguntas, aonde nos conhecemos, de onde vinha o dinheiro da minha conta (eu trabalho como autônoma, não tenho carteira assinada nem nada) quem pagou as passagens e hospedagens... Outra coisa chata é que, para tirar o visto japonês, você necessariamente precisa ter as passagens e hospedagens pagas. Ou seja, se eles negarem, você meio que perde bastante dinheiro :P por isso tiramos com um mês de antecedência, pra poder recorrer caso desse algum problema. Confesso que ficamos bem nervosos com essa parte, afinal era nossa primeira vez lidando com uma burocracia assim, mas no fim deu tudo certo. Nossa dica é, tenha bastante grana em uma conta, ou algum fiador que possa te ajudar em alguma situação de imprevisto. Eles são bem preocupados com isso.


Meu visto, JR pass e duas notinhas de 10 mil ienes :~

Por fim procuramos um bom seguro de viagem (que por sorte não usamos, mas é bem importante ter!) e fizemos as economias finais para enfim trocar nosso dinheiro e viajar! ヽ(〃・ω・)ノ

A viagem em si é bem cansativa. Foram aproximadamente 24h no avião, mais umas 2h de conexão em Doha. Isso que demos sorte de pegar conexões curtas, tanto para a ida quanto para a volta. Não tivemos nenhum problema em imigração, tanto no Qatar quanto no Japão, e nem em São Paulo na volta para o Brasil. Ouvimos histórias tão cabulosas, mas no fim pra gente foi tudo muito tranquilo.

*Anne* Na imigração em Doha praticamente ninguém falou com a gente. Na do Japão, eles falaram ingês numa boa. Mesmo que seja um inglês ~daquele~ jeito. Mas fotos tratados com simpatia, e isso foi ótimo <3.



Algumas considerações para quem está planejando uma viagem para o Japão:

♥ Compre uma mala BOA. Sério, eu, Anne e Daniel compramos malas novas (mas em promoção, malas de tecido em uma loja de shopping) e elas simplesmente foram destruídas na viagem de avião. Caiu roda, alça quebrando... A única mala que sobreviveu foi a da Bia, comprada na Le Postiche. As calçadas do Japão são maravilhosas, então malas com rodinhas nas quatro extremidades são muito melhores de carregar. Nossa sorte foi que Daniel conseguiu fazer reparos pra gente conseguir voltar com elas e não precisar gastar com malas por lá.
♥ As estações de metrô tem elevador! Eles ficam meio mocados, mas existem. Nós sofremos horrores na ida para o primeiro apartamento porque ficamos subindo e descendo bilhões de escadas perdidíssimos na estação de Tokyo com malas de mil quilos, e depois na estação de Shinjuku perto do nosso apto, até descobrir que existe sim o caralho do elevador e nós não vimos :) então FICA A DICA.
♥ Leve roupas térmicas se estiver indo no inverno, um bom casaco de frio, mas pouca roupa. Nós levamos muita coisa e no fim acabamos não usando tudo e só fez peso na mala. Eu achava que as roupas de lá não iriam servir em mim, mas todo mundo conseguiu comprar coisa perfeitamente. Então se seu objetivo é comprar, só leve poucas mudas de roupa e uma mala vazia pra compras. Eu deixei de levar sapatos no fim da viagem por falta de espaço pra trazer de volta.
♥ Alugue uma pocket wifi com antecedência. As empresas que oferecem esse serviço normalmente só tem pontos de retirada nos aeroportos. Isso ou eles enviam para o seu endereço de hospedagem, mas é muito mais prático já retirar a wifi no aeroporto.
♥ Se você está sem wifi, alguns lugares que descobrimos que fornece o serviço gratuito são: McDonalds, Lawson (rede de conveniências que salvou nossa vida) e em algumas estações de metrô eles fornecem um usuário e senha grátis para extrangeiros, basta mostrar o passaporte e você recebe uma folha com instruções de onde o sinal pega naquele determinado bairro. Usamos isso em Shibuya no primeiro dia que estávamos sem internet, mas tinha em outros bairros mais famosos também.

♥*Anne* Procure o aplicativo WIFI JAPAN. Ele é grátis e te ajuda a ter acesso em várias WIFI free no Japão, especialmente em Tóquio. Não dá para contar só com ele, mas é uma mão na roda em várias situações!

♥Baixe os aplicativos de metrô e trem! Existe especialmente em Tóquio e funciona off line! Recomendo baixar até mesmo antes de ir para o Japão, para já ir estudando as linhas <3 é bem prático!



Rua principal perto do nosso apto em Shinjuku, aquela plaquinha azul é a Lawson que nos salvou!

Acho que por hoje é só! Espero que isso possa ajudar alguém que pretende fazer esse roteiro também, a viagem foi ainda mais incrível do que nós planejávamos e definitivamente queremos voltar pra lá o mais rápido possível. Nos próximos posts vamos dividir por bairros visitados e o que fizemos em cada um deles.

*Anne* Qualquer pergunta, sintam se a vontade <3 Só digo: Não desistam do seu sonho. O Japão é um sonho muito mais possível que parece. Você não precisa ganhar na loteria, não precisa saber japonês, não precisa de um guia turístico. Só precisa de foco, determinação e muito planejamento! Nos aguardem para os próximos posts <3



Beijos e até a próxima! ヾ(。・ω・。)
[ 2016/02/05 ] Categoria: Nenhuma | TB(0) | CM(6)

Forever Gackt+Mana

Oi queridos, tudo bom? (ノ◕ヮ◕)ノ*:・゚✧ Anne aqui~ Sentiram nossa falta? (◕‿◕✿)

Depois de uns bons MESES sumidas, estou aqui para por um pouco as novidades em dia.
A gente andou bem corrida nos últimos tempos, trabalhando bastante e vivendo num clima que não TEM colaborado. Anda chovendo muito e isso desanima um bocado os roles (✖╭╮✖)

Até tiramos umas fotinhos nesse meio tempo, mas eu sou esperta e esqueci que era minha vez de postar NHU. Então por enquanto as fotos ficam lá no passado. Quem sabe outro dia eu surja aqui e poste elas~ Afinal hoje temos algo MUITO MAIS QUE ESPECIAL para postar aqui ヽ(♡‿♡)ノ




Quem nos conhece há mais tempo, sabe que começamos nessa vida como cosplayers de Malice Mizer. Nos conhecemos e ficamos amigas por causa da banda, faz mais de 10 anos.

Fizemos muitos cosplays juntas, numa época onde tudo era mais difícil e, muito por isso, não temos fotos boas da maioria deles.

Nosso amor por Malice está sempre lá, latente. Como banda que está em hiatus desde antes da gente se conhecer, ás vezes o amor dá uma esfriadinha. Só que sempre volta, e QUANDO VOLTA não dá pra segurar.



Entramos na vibe louca de novo e começamos a planejar mil coisas. É ótimo que esse sentimento que nos uniu primeiramente nunca morra e, com isso, reformamos esses cosplays em tempo record.


( ˘⌣˘)♡(˘⌣˘ )

Tivemos basicamente uma semana para ajeitar tudo e precisamos de muita fé para que o tempo estivesse bom. No fim, choveu, mas ao menos não foi tanto e estávamos num lugar onde a copa das árvores nos protegia um pouco da chuva.


♡ (˘▽˘>ԅ( ˘⌣˘)

Foi perfeito usar os cosplays de novo, poder se arrumar com tempo e tudo mais. Estar de cosplay em evento é divertido, mas cosplays assim tão grandes, detalhados e volumosos, é quase um crime se jogar com eles onde há um mar de pessoas.


Gabui mais lindo do mundo <3

Assim pudemos nos dedicar um dia inteiro apenas a eles, fazer fotos bonitas e jus ao nosso esforço. Era muita loucura se arrumar assim em hotel / banheiro de evento, ficar apertado no meio de filas, não conseguir um cenário descente para recordações.

MANA ZAMA

Olho para as fotos e só consigo sorrir. Sorrir por que o mesmo amor ainda nos une. Sorrir pelas skills terem melhorado (em todos os ângulos) <3


(。・//ε//・。)

Esse cosplay foi usado em janeiro de 2006, então são 10 anos de um amor sem fim~~~~ e agora finalmente representado a altura.




(っ˘з(˘⌣˘ ) ♡


Gackt - Le Ciel


Mana - Le Ciel

E foi isso <3 Postei mil fotos aqui por que TODAS FICARAM LINDAS <3 Podia ficar até 2020 postando!

Sei que hoje em dia fãs de Malice Mizer são coisa rara. Mas a banda vai estar sempre em nossos corações. Espero que tenham gostado e até a próxima~~


(*¯ ³¯*)♡ (´ε` )♡

[ 2015/11/30 ] Cosplay | TB(0) | CM(5)